01/03/2019

A Defensoria Pública da União tem expectativa de abrir um novo edital de concurso público em breve. O órgão espera, através do Projeto de Lei 7922/2014, criar 2.700 cargos para o apoio adminsitrativo. 

O pleito tramita como prioridade, e pretende criar cargos de técnicos - nível médio (1.092) e analistas - nível superior (1.659) nó órgão. A validade do último certame vai encerrar no dia 21 de março deste ano.

O Projeto de Lei tramita na Câmara dos Deputados na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania. No momento, o PL aguarda parecer do seu relato e votação. O órgão luta para que  o projeto seja votado e aprovado.

 

DPU disse para o jornal Folha Dirigida que "A aprovação e promulgação da referida Lei (que cria as carreiras administrativas) é fundamental para as ações referentes a provimento de cargos. Não obstante, ressalta-se que esta DPU tem envidado todos os esforços no sentido de tramitar, votar e aprovar esse PL". 

 

A criação dos cargos já consta no Orçamento da União para 2019, sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro. A Defensoria Pública da União (DPU) tem urgência na aprovação do projeto, já que não possui um quadro próprio de pessoal. O órgão almeja um quadro próprio desde 2014.

Atualmente, segundo o Portal de Transparência do órgão, há 248 cargos vagos.

 

Para concorrer ao cargo de técnico é necessário possuir nível médio completo. O salário inicial é de R$ 4.363,94, podendo chegar a R$ 6.633,12 ao longo da carreira.

Para o cargo de analista o requisito é ter nível superior. A remuneração inicial é de R$ 7.323,60, podendo chegar a R$ 10.883,07.

 

O último concurso do DPU foi em 2015. Contou com 143 vagas, sendo 105 nível médio e 38 de nível superior. A banca foi a CESPE.