O QUE NÃO FAZER DURANTE SUA PREPARAÇÃO PARA UM CERTAME

O QUE NÃO FAZER DURANTE SUA PREPARAÇÃO PARA UM CERTAME

Selecionamos para você dicas de hábitos que você deve evitar durante sua preparação para um concurso público. 

Não deixe para estudar apenas quando estiver com tempo livre : Ao iniciar sua preparação, esteja ciente de todos os percalços que podem ser encontrados durante seu caminho. Desta forma, você evitará surpresas e saberá como lidar com cada um deles. Baseie-se sempre no limitado número de vagas disponíveis, na alta concorrência, na quantidade expressiva de disciplinas e nos requisitos exigidos em um certame. Todas as decisões que você tomar a partir dessas informações, poderão ou não te levar ao seu desejo final, a nomeação.

Mesmo que você tenha uma rotina corrida com o trabalho, família e outros compromissos, foque em seu comprometimento e crie um ritmo para seus estudos, esses serão fatores primordiais em sua preparação. Não deixe para estudar apenas nos dias em que você consegue um tempo livre. Organize sua rotina e priorize suas horas de estudos, estabeleça suas metas e leve em consideração a necessidade de estudar com regularidade.

Não espere o edital ser publicado para iniciar sua preparação:  Se você está iniciando no mundo dos concursos, aproveite esta dica e não cometa um dos deslizes mais comuns entre os candidatos. Iniciar os estudos somente após a saída de um edital é considerado um erro de principiante! 

Tenha em mente que: após a publicação de um edital, é o momento do concursando intensificar sua preparação, e não iniciá-la. Antecipe-se! Inicie sua jornada agregando conhecimentos que só o tempo de estudo poderiam lhe proporcionar. Há casos em que o candidato consegue a aprovação mesmo com apenas dois meses de dedicação aos estudos, no entanto, uma boa preparação não é aquela que utiliza a sorte como base. 

Não deixe de se autoavaliar durante o processo de estudos: O estudo por questões deve ser considerado etapa fundamental durante a preparação para concursos. Afinal de contas, através dele percebe-se se a técnica escolhida está dando bons resultados, além de ser uma forma de autoavaliação para os candidatos. Por isso, de forma alguma, deixe para fazer as questões somente quando estiver com tempo livre. 

Adicione a resolução de questões ao seu cronograma de estudos. Esta prática está ligada à aprendizagem ativa, isto é, o aluno simplesmente estará estudando com maior envolvimento e profundidade. Por exemplo, se você, ao ler um livro, grifa passagens importantes, escreve resumos para revisar e faz perguntas a respeito do texto, significa que você está estudando de forma ativa.

Um dos principais guias para seus estudos é reconhecer e entender seus pontos fortes e fracos. 

Não revisar os conteúdos estudados: Você pode considerar que a revisão não possui nenhum fator agregador durante sua preparação, no entanto, garanto que recapitular os conteúdos estudados é uma das maneiras infalíveis de deixar as informações fresquinhas em sua mente. 

As formas de revisão são as mais variadas, por isso, selecionamos alguns modelos de estudo que você pode testar ao longo de sua preparação para um certame: Mapas mentais, flashcards, resumos tradicionais ou em tópicos, fichamentos, questões, simulados, áudios, ensinar para outra pessoa, enfim, são inúmeros os modelos que você pode experimentar e encontrar o que melhor irá lhe auxiliar nesse caminho.

Independentemente do método de sua escolha, é  necessário ter em mente que fazer revisão não é perda de tempo, pelo contrário. Desta forma, você está aplicando e testando seus conhecimentos sobre determinados assuntos. 

Baseie-se na teoria da Curva do Esquecimento de Ebbinghaus:

A definição da curva do esquecimento é antiga. Foi criado pelo psicólogo alemão Hermann Ebbinghaus (1850 – 1909). Segundo Ebbinghaus, o conceito de curva do esquecimento aponta que quanto mais o tempo passa, mais esquecemos o que foi visto ou lido por nós. Para ilustrar a teoria, o psicólogo montou um gráfico em curva.

Curva do Esquecimento de Ebbinghaus: Ilustração.

Logo, ela demonstra que no momento em que acabamos de estudar, lembramos de praticamente tudo, e, à medida que o tempo vai passando, a curva vai aumentando, até esquecermos quase tudo o que absorvemos. Dê mais importância para a qualidade dos estudos, e não para a quantidade de matéria vista em um dia, uma semana ou em um mês.

Por isso, após uma semana, reative em seu cérebro os conteúdos estudados. Ou seja, reveja tópicos da matéria e não esqueça: todos nós temos uma boa memória, apenas precisamos estimulá-la de forma correta. 

Não conhecer a banca organizadora: Em resumo, a banca é responsável por aplicar todas as etapas e organizações gerais de um concurso. A definição da empresa que ficará responsável pelos trâmites praticamente confirma que a seleção será realizada, além disso, define também como será a estrutura básica das provas do concurso. 

Por isso, após confirmada a autorização, esteja atento à escolha da banca. Afinal, elas tendem a ter um padrão muito próprio. As bancas possuem estilos de provas bastante específicos. O candidato que não se atentar aos detalhes, poderá estar investindo tempo e dedicação de maneira errada. 

Isto é, durante a aplicação das provas, há bancas que descontam pontos caso o candidato erre uma questão, o que dificulta os famosos “chutes”. Algumas adotam o sistema de questões de múltipla escolha, enquanto outras adotam o estilo de Certo ou Errado. Sendo assim, procure conhecer a banca que estará realizando o concurso que você deseja ser aprovado e mantenha seu foco.

Deixe uma resposta